Dinheiro Vivo – Glowed. Nem só de vestidos vive uma designer de noivas

No Tags | Sem categoria

Criada em 2000, a marca de Joana Montez cresceu: além de vestidos de noiva, vai lançar uma nova linha de roupa de festa.

Há 15 anos que o processo se repete: 25 modelos de vestidos de noiva fotografados antes da apresentação de cada coleção, em setembro. Só que o processo a que Joana se dedicava com uma sócia exige-lhe agora trabalho e criatividade redobrados: desde 2014 que a designer é responsável a solo pela marca Joana Montez: pensa, desenha e acompanha todo o processo de confeção dos cerca de 200 vestidos de noiva que a empresa vende anualmente.

A marca criada em 2000 prepara-se para dar mais um passo para crescer, depois de Joana ter repensado e redirecionado a estratégia do negócio.

Assim, apesar de há dois anos ter avançado a vontade de encontrar um investidor para escalar o negócio, a estratégia de internacionalização mudou: já na próxima terça-feira apresenta a primeira coleção-cápsula, 25 modelos extra direcionados para um público diferente, que não é necessariamente o das noivas convencionais, mas que foi pensada para o mercado mundial.

“A marca é a mesma, mas esta coleção é prêt-à-porter, o que significa que não funciona por medida, mas por tamanhos, está feita. E não se destina ao segmento das noivas especificamente: pode servir para noivas mais descontraídas, com medidas fáceis e cujos vestidos encaixem bem.

Mas também para o mercado da festa e celebração, para o qual achamos que existe uma lacuna, não só a nível nacional como internacional”, explica Joana Montez, em entrevista ao Dinheiro Vivo. A linha de festa, que inclui “peças descontraídas feitas com bons materiais”, é apresentada em parceria com a Loja das Meias, o primeiro ponto de venda da nova coleção.

A decisão de investir numa nova linha surgiu no seguimento, tanto da observação de um nicho inexplorado no mercado como da necessidade de criar algo diferente, depois de 15 anos dedicada exclusivamente ao mercado das noivas.

“Às vezes cria alguma confusão entre aquilo que é o exclusivo e aquilo que é a coleção: tanto os modelos de coleção como os exclusivos são feitos à medida da cliente. Todo o trabalho é feito por medida. Há outras noivas que querem os exclusivos e eu desenho esses exclusivos para essa noiva”, conta a designer.

A nova linha exigiu um investimento de “alguns milhares de euros”, cujo valor Joana não detalha. No entanto, a grande aposta continua a ser uma questão de disponibilidade.

“O tempo é o grande investimento. Se eu contabilizar o número de horas e tudo o que envolve, é um projeto pequenino, mas tem um banco de horas de quase um ano. Quando se começa algo, é mais difícil: abrir canais, procurar os parceiros. O processo criativo dura cerca de dois meses, no total”, detalha a designer. Além das duas coleções diferentes – de noiva e de festa –, Joana Montez criou também uma linha de acessórios, outra para criança e ainda mantém o negócio de vestidos exclusivos: tanto estes como os desenhos pertencentes à coleção de noiva são confecionados no ateliê da designer, no primeiro andar do showroom de Alcabideche, sempre por medida.

As peças da nova coleção podem variar entre os 500 e os 1300 euros por peça, valor abaixo dos preços dos vestidos de noiva. A nova marca estará ainda à venda no showroom Joana Montez e na loja online Glowed Store. “Ao criarmos uma loja online, o interesse é o mercado mundial, é ir para todo o lado. Mas temos de ir passo a passo. Vendi vestidos de noiva para o mundo inteiro e tenho noivas estrangeiras a vir a Portugal só por causa dos vestidos. Já fiz vestidos para os cinco continentes, já fiz noivas na Austrália”, conta.

Entre os mercados internacionais prioritários está, em destaque, o Reino Unido. “Em termos de internacionalização, um mercado onde gostava muito de entrar é o de Inglaterra. É o centro de tudo, se conseguimos entrar naquele, estamos mais perto de todos. Será um dos focos e temos a vantagem de estar perto.”

 

Ler o artigo no Dinheiro Vivo

Sem comentários

Comments are closed.